Reguengos de Monsaraz #2

Herdade do Esporão

Tudo começou quando andava nas pesquisas de adegas, herdades e afins uma vez que íamos num espírito de Enoturismo. Quando entrei no site da Herdade do Esporão (cliquem na foto acima para o link da Herdade) bati com os olhos no programa pôr-do-sol, e pronto ficou decidido na hora como ia ser o início da escapadinha a Reguengos.

Não podia ter escolhido melhor início…

Saímos do Outeiro do Barro, como era relativamente cedo e estavamos perto da Herdade (cerca de 15 min) decidimos ir em modo TT até lá, marcamos o ponto no gps e lá fomos, demoramos cerca de 1 hora a chegar e valeu muito a pena, o caminho que escolhemos levou-nos por entre as vinhas uma paisagem tão maravilhosa e tão imensa que até me esqueci de fotografar, shame on me!  Chegamos ao final da tarde como era suposto e encontramos uma paisagem de cortar a respiração.

O programa “pôr-do-sol” acontece na esplanada do Restaurante da Herdade, ora a esplanada termina onde inicia a vinha, podem imaginar uma paisagem que se estende até ao perder da vista. A acompanhar a vista e o sabor um Deep House Chill Out Lounge Music torna o fim de tarde no Esporão uma experiência a repetir, aqui  a máxima “nunca voltes ao lugar onde já foste feliz” não se aplica.

O menu do programa consistia em petiscos reinventados pelo chef, regados com vinho á escolha (garrafa ou servido a copo)

  • Monte Velho Tinto 2013
  • Vinha da Devesa Rosé 2012
  • Verdelho 2011
  • Vinho da talha tinto
  • Sangria Branca ou rosé

Nós para iniciar e acompanhar as entradas optamos pelo Verdelho 2011, gostei mesmo muito (eu esquisitinha do vinho branco me confesso), achei o vinho fresco, aromático e bastante agradável ao paladar, foi o ideal para degustar antes e durante as entradas.

E as entradas??? Fico já cheia de fome só de pensar nas entradas, mas cá vão:

  • Pão alentejano
  • Degustação de azeites do Esporão (com direito a explicação, muito bom)
  • Cascas de batata com molho de alho torrado
  • Mousse de aves com pickles da horta
  • Tábua de queijos e carnes curadas

E entretanto passamos ao tinto!

Para acompanhar o prato principal Cabeça de Xara com ameixa assada, o Monte Velho foi perfeito, vinho tipicamente alentejano composto por uvas de toda a região foi o ideal para terminar esta experiência visual e gastronómica. Como dizem na Herdade

“Sempre fiel às suas origens, Monte Velho é o Alentejo num copo”

… e eu não podia estar mais de acordo!

See u soon

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *