I´m 30 Bitch! Goodbye 20’s!

E pronto é o culminar de uma década e o início de outra! E até agora isto não está nada a ser como eu estava á espera que fosse quando tinha 18 anos e imaginava como ia ser a minha vidinha aos 30. Nada que me aflija muito pelo contrário, é que aos 18 imaginava que aos 30 a pessoa é adulta (seja lá o que isso signifique, acho que ainda não atingi essa clarividência), a verdade é que me sinto exactamente igual.

Ora antes que me comece a desviar do que aqui vim partilhar… vamos lá ao relatos dos festejos…

Tive a sorte de este ano o meu aniversário calhar num sábado (Espectacular, que eu ADORO fazer anos) e poder festejar os 30 o fim de semana inteiro.

Sexta feira

Foi dia de festejar com os amigos, o Restaurante do repasto foi O Dona Elvira (se ainda não conhecem, vão até lá que não se vão arrepender) maravilhoso como sempre, comeu-se Açorda de Gambas, Caril de Gambas, Bacalhau a Lagareiro, Picanha, Maminha com tapioca, Naco de Vitela, Secretos de Porco Preto, tudo maravilhoso como sempre  e tudo regado como sempre também pelo fantástico vinho tinto da casa “Dona Elvira” produzido pela Quinta do Sobral.

(Aos meus amigos um Muito Obrigada a todos, Vocês são espectaculares)

Sábado

Já tinha decidido que por ser o primeiro dos “intas” queria festejar do forma diferente, queria recordar de forma diferente, então a escolha recaiu num fim de semana fora com o Hubby e os Papás no Porto, escolha mais que lógica para uma foodie e wine lover como eu claro está.

O Hotel

O Castelo de Santa Catarina , fica como não podia deixar de ser na Rua de Santa Catarina a cerca de 20 minutos a pé da Ribeira, está assim numa localização privilegiada, muitíssimo perto do centro mas também numa zona  que permite aos hóspedes um óptimo descanso quando regressam ao hotel, é pois um pequeno paraíso no centro do Porto.

Actualmente o hotel possibilita dois tipos de alojamento, o clássico no próprio castelo, que apela ao hóspede que pretende deixar-se envolver pelo charme e requinte de outrora num ambiente de arquitectura clássica, e o moderno (foi onde ficamos) localizado no jardim para o hóspede que aprecia a arquitectura contemporânea dispõe de quartos com vista panorâmica sob o jardim numa envolvência sublime, amplos e com uma luz natural que não irá deixar ninguém indiferente. A minha mãe adorou este contraste entre o moderno interior e o exterior que nos reportava a outros tempos.

Se tiverem oportunidade não deixem de falar com o proprietário, extraordinário na explicação da história deste Castelo e de todo o trabalho que tem realizado na manutenção do mesmo. Percam também algum tempo a explorar os recantos vão ficar surpreendidos com os pormenores que vão encontrar.

Outra coisa a não perder é o pequeno almoço, que maravilha gastronómica: ovos mexidos, cogumelos salteados, bacon frito, fruta fresca cortada, queijo, fiambre, tomate cortado, variedade de manteigas e doces, variedade imensa de bolos, croissants e pão, sumo de laranja natural e café expresso uma pequena maravilha cujo único arrependimento que tenho é não ter tirado fotos para vos mostrar, pelo que vão ter de ir lá experimentar e depois digam-me se é ou não uma pequena tentação pela manhã.

Vão até lá e façam um festinha a Camila por mim, é a gata de estimação do staff e principalmente hóspedes, aposto que não vão resistir aos seus encantos.

A tarde

O resto da tarde foi passado a explorar a baixa, sem destino, apenas a deambular, a observar as ruas, os edifícios, as pessoas e a visitar algumas lojinhas de antiguidades, velharias, souvenirs,  compramos alguns souvenirs e umas t-shirts na Typographia loja t-shirts extravagantes, designers de todo o mundo mas com produção nacional … acabamos na Tarberna do largo para um lanche de final de dia em pleno coração do Porto, uma pasta à Tarberna, uma queijo de Alcains no forno com ervas, eu e a minha mãe com um belo copo de rosé do Douro, o hubby copo tinto também Douro e o meu pai um Cerveja Artesanal produzida no porto, a Burguesa, e que inveja da escolha dele a cerveja é Maravilhosa, neste caso foi a versão Imperial IPA que tem um travo a citrinos aposto que excelente para o Verão que ai vem, fiquei fã. Um fim de dia MARAVILHOSO.

A noite

O cáBARé foi a prenda de aniversário do hubby, e meus amigos… ele conhece-me tão bem! Este espaço bem ao estilo Madrid/Barcelona, mistura na perfeição restaurante e bar, não fosse a máxima do espaço

“first we eat, then we do everything else”

Situado em pleno pulmão da baixa do Porto, mais concretamente na Rua Conde de Vizela, é daqueles espaços que me dá vontade de mudar de cidade num “heart beat” … Espaço de extremo bom gosto, com empregados 5 estrelas e ambiente maravilhoso, fazem dele uma visita obrigatória na próxima ida ao Porto.

O jantar estava absolutamente divino, foi degustado com Trinca Bolotas Tinto, da Herdade do Peso, vinho Regional Alentejano intenso que mistura castas Alicante Bouschet, Touriga Nacional,e Aragonez uma pequena maravilha.

Entradas:

  • Queijo panado com coulis de frutos vermelhos
  • Migas de ovas de bacalhau
  • Folhadinhos de alheira com molho agridoce

Pratos principais

  • Risotto de rabo de boi para o hubby e o meu pai
  • Risotto de cogumelos para mim
  • Esparguete nero com gambas para a minha mãe

Para terminar, um favorito meu,  um prato de queijos.

O café e um gin para terminar a visita foi tomado no piso inferior, mas também podia ter sido no jardim interior/exterior que existe no centro do espaço rodeado de sofás e aquecedores de exterior (não aconteceu, porque estava a jogar o Benfica e aqui a adepta queria ver o jogo), mais um pequeno/grande detalhe que torna este espaço uma pequena maravilha de visita obrigatória.

Ficamos os quatro fãs e iremos de certeza regressar numa próxima visita ao Porto. (A pena que eu tenho de não existir uma coisinha destas por estes lados)

Muito Obrigada ao hubby que não podia ter escolhido melhor prenda nem melhor local para o jantar dos 30!!! You rock baby!

Domingo

A manhã de Domingo foi aproveitada para digerir o pequeno almoço do “demo” com uma caminhada pela cidade. Descemos a Santa Catarina até a ribeira,  percorremos a Ribeira até a Ponte D. Luís I, subimos á Sé do Porto e descemos até aos Aliados onde íamos almoçar, mais precisamente ao Ro na Rua Ramalho Ortigão… Depois de uma manhã bem “animada” e depois de apanhar uma pequena “molha” pelo caminho o ramen veio mesmo a calhar.

O Ro cuja especialidade é o Ramen, comida de rua do Japão directamente para o Porto. Foi a nossa primeira incursão neste tipo de culinária, nunca nenhum de nós tinha experimentado e ficamos agradavelmente surpreendidos. Gostei imenso das entradas, tártaro de salmão picante, bolinhas panadas de batada doce e barriga de porco panada. Os ramens sinceramente já não me lembro exactamente qual era qual, sei que provei de todos os que pedimos e não ouve nenhum que não gostasse! Pelo que é ir e arriscar!

Para terminar o fim de semana, uma coisa que eu queria mesmo muito, visitar a Livraria Lello, abriu em1906 foi casa de homens das letras e das artes, inspiração para famosos escritores, palco de tertúlias e espectáculos, hoje é visitada diariamente por pessoas de todo o mundo. A entrada custa 4 euros por pessoa, valor que é descontado no preço de livro, caso adquiram algum.

A livraria é mais pequena do que imaginava, mas deslumbrante, se são fãs do Harry Potter como eu vão adorar, têm imensa coisa relacionada com a saga para além dos livros é claro. Nas restantes secções no entanto não se fica nada atrás, dos livros técnicos aos romances, passando pela banda desenhada e policiais têm uma selecção fantástica. Vale muito a pena a visita sejam fãs do Harry Potter, de História ou apenas leitores ferozes!

And it was…

 

Reguengos de Monsaraz #4

 

Monsaraz

Antes de começar a falar sobre Monsaraz devo confessar que adoro tudo o que é vila e feira medieval, gosto do misticismo e da atmosfera que se respira nestes locais. Então, assim sendo dar um salto a Monsaraz era uma “obrigação”.

E fomos logo pela manhã depois de um pequeno almoço reforçado! Estacionamos o jipinho na entrada de Monsaraz, onde aproveitamos para tirar umas fotos maravilhosas do Alqueva visto da encosta, e seguimos a pé, pois esta vila como todas as vilas medievais são para ser descobertas a pé.

Então e assim que entramos na vila o que encontramos? A loja de vinhos Ervideira! Fica na antiga escola pública de Monsaraz, podem adquirir vinhos, fazer provas e marcar visitas a adega (como eram 11h da manhã achamos um bocado cedo para provas de vinhos e ficamos apenas pelo registo fotográfico).

Adoro esta calçada milenar e a forma como mantêm a originalidade da vila, vão com tempo e passeiem, observem, respirem este ambiente não sei como sentir esta vila de outra forma. Acho que o mais turístico que fizemos nesta primeira ida a Monsaraz foi comprar uns “souvenirs” nesta lojinha junto ao castelo, o que valeu a pena, não achei nada caro e têm bastante variedade.

"Uma imagem vale mais que mil palavras" Confúcio

E esta vila é a personificação desta citação, visitem-na, deambulem pelas ruas sem roteiro definido, observem as casas, as ruas, a vista imensa sobre o Alentejo, admirem as lojinhas que parecem ter sido retiradas de uma qualquer casa de bonecas, a vila é linda e merece uma visita sem pressa.

O almoço foi aqui “Taverna os Templários”, provavelmente não terá sido a melhor escolha para o que pretendíamos, estava um dia extremamente quente e a nossa ideia era tapear, felizmente eles têm uma carta de entradas magnifica e conseguimos o propósito (fiquei com vontade de regressar para provar os pratos de “faca e garfo” que tinham muito bom aspecto), posto isto o almoço foi regado com um  Verdelho 2014  “a estalar” e as tapas:

  • queijo ao forno com azeite e tomilho fresco
  • azeitonas
  • salada de polvo
  • salada de pimentos assados
  • prato de fumados (presunto, salpicão e painho regionais

O almoço também serviu para planear a tarde, trilho do wikiloc que nos levou por vinhas, herdades, Menir do Outeiro (este é conhecido como Penedo Comprido e é considerado um dos mais notáveis da Península Ibérica) e junto ao Alqueva. Uma tarde espectacular por Reguengos off-road.

O jantar foi no MARAVILHOSO O Barril, não podíamos terminar a nossa escapadinha sem ir experimentar este Restaurante, tinha lido muitíssimo bem sobre ele tanto no boa cama boa mesa, como no tripadvisor, e tenho-vos a dizer que não defraudou absolutamente em nada… Gostamos tanto que voltamos no dia seguinte para o jantar de despedida por terras Alentejanas, tive pena de termos guardado esta ida para o final da viagem. Erro que não iremos cometer na próxima ida a Reguengos.

Ora este  jantar propriamente dito teve como entrada umas linguiças com ananás e azeitonas, que não chegaram a ser fotografadas (shame on me) e esta Maravilhosa sopa de Cação, a melhor que já comi até hoje, acompanhado de um Reguengos Reserva 2012 não podia ter sido mais perfeito. Vão até lá, prometo que não se vão arrepender!!!

next last day in dreamy Reguengos… Stay tuned